domingo, 31 de maio de 2009

Oscar Wilde

"Não sou jovem o suficiente para saber tudo" - Oscar Wilde

Essa citação realmente é o que sinto a cada dia que passa...

Trilha: Teddy Thompson - I should get up

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Sintetizador para Playgrounds

Se euu fosse criança ia querer um desse no meu quarto.
Um sintetizador movido a manivela, isso mesmo: manivela!!!
Com certeza deve possuir um forte "sistema anti-choque" pois foi criado para o uso em playgrounds.

É composto por 4 pads ou botões, que quando pressionadas, emitem sons pré-gravados. E depois de “dar corda”, a manivela serve para mudar as bases musicais, como se fosse um dial de rádio. Animal!!
Dica do Update or die.



Trilha: John Mayer - 1983

Músicas que não fiz mas queria ter feito

Keith Urban - Days go by
Não achei nenhum video da música com a possibilidade de integrar aqui, só essa versão com a foto.

O cara é muito bom e a produção também! vale a pena.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Cold War Kids - Quem vc quer que toque?

Cold War Kids - os caras fizeram um negócio muito legal no site, só toca quem você quer ouvir, se quiser ouvir o vocal solo, vc ouve, se quiser ouvir só o baixista, pode ser também!!

Muito bom!!
Clique no título do post ou copie e cole no seu browser:

http://www.mtvmusic.com/artist/coldwarkids.jhtml

Axl Rose is "a real selfish prick"


Em inglês do Music Radar news: Steven Addler insiste em reunião da formação original da banda.
Original Guns N' Roses drummer Steven Adler has again revealed his desire to reunite the band's classic Appetite For Destruction lineup. However, his most recent quotes on the subject seem to read more like an extended middle finger than an olive branch.

Speaking at a drum clinic in Sydney, Australia, Adler was asked whether he is still hopeful of a GN'R reunion: "Axl is being a real selfish prick about it," he said.

"Forget about the original band for a second. Axl's not thinking about the fans. The fans want a reunion desperately. It's really sad because we are all still alive and I know there's so many people that want to see us. I hope Axl gets it together soon while the fans still want it."

However, it wasn't all Axl-bashing: "Axl is a genius and I still love the guy. Last time we met — about two, three years ago — things were great. We shared a $3000 bottle of tequila and things went smooth. I really hope for the fans that we do a reunion tour."

Adler also talked about his forthcoming appearance on Slash's solo album, and revealed that Nightrain is his favourite GN'R song.

Trilha: Guns n´Roses - Appetite for destruction

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Teddy Thompson - I should get up

Descobri esse som na last fm, aqui ele toca só Voz e violão,que ficou legal também, mas a versão de estúdio é muito melhor. Eu recomendo!

As guitas mais estranhas e corrosivas do mundo


Tudo bem que músico é excêntrico, senão todos, a grande maioria, até me encaixo nesse "rótulo" e é bem legal ter algumas "excentricidades", mas alguns artistas seguidos por seus luthiers foram além...



Guitas de todos os tipos e de vários modelos antes não imaginados, veja essas e outras no link: http://www.musicradar.com/news/guitars/the-14-most-outrageous-guitars-on-the-internet-198301

(estou tentando descobrir pq meus links não estão funcionando por favor cole no seu browser)

Trilha: Steve Vai - Flex Able

"Conquistar um sonho deve ser divertido e não um peso"


"Conquistar um sonho deve ser divertido e não um peso"

Acho que aqui vai uma postagem pra mim.
Não é a toa que sempre que alguém ensina algo a outros, esse alguém sempre diz que aprende muito mais do que os que estão aprendendo. Quando ajudo alguém ou divulgo alguma coisa que estou escrevendo, na maioria das vezes percebo que escrevi para mim mesmo,e que tentando ajudar essa pessoa, acabei me ajudando muito mais.

Nas intermináveis conversas que tenho comigo mesmo, muitas vezes fico com a impressão que só funciona quando falo também com os outros. Assim, deixa de ser irreal e se torna real, como aqui, agora... sinto que essa frase serve pra mim em primeiro lugar.
Muitas vezes, nossos sonhos se tornam pesos. Pensamos mais em trabalho do que na diversão em realiza-los, e talvez por isso algumas coisas não se encaixam nos nossos planos.

Devemos ser mais bem-humorados e menos "pressionados" por nós mesmos, ainda mais os perfeccionistas, trabalhar é uma dádiva e fazer o que gostamos é o que importa, o resto vem com o tempo.
Alto astral e bom humor em tudo.

Trilha: Wallflowers - Beatifull side of somewhere

terça-feira, 26 de maio de 2009

O que fazer para sua música "estourar" nos dias de hoje?



De 20 anos pra cá o mercado fonográfico mudou muito, o sistema de consumo musical mudou demais, hoje quem manda são as pessoas e não mais as grandes "record labels".
Sou artista, sou músico, componho, gravo, corro atrás, hoje administro uns 20 sites de relacionamento para mostrar meu trabalho, e até que estou gostando.

Uma coisa que sempre me perguntei foi: o que posso fazer para estourar?
Já tive muitas respostas, desde as mais idiotas até as mais conscientes e lógicas, dentro dessas, alguns dizem que o ideal e necessário é ter verba para pagar o jabá das grandes rádios e depois só sorrire ai vem a questão: e sem tanta verba para se investir?
Sem verba, acredito que o melhor caminho hj seja a internet. Temos muitas opções de sites de relacionamento e sites próprios que vendem mp3 e que podem provocar um "burburinho" caso gostem do teu som.

Acredito nesse meio e também estou focando, como vc´s podem ver, deixo minha recomendação aqui de alguns meios que acho interessantes e tenho utilizado periodicamente:

myspace
youtube
twitter
facebook
ilike
amie street
last fm
vimeo
blogger
imeen
orkut
pump audio
flickr

Bom por hora é isso.
Acredito no poder da Internet, essa semana me adicionou no twiter o Governador da Califórnia Arnold Schwazenegger, como ele me descobriu não sei, mas sei que se tivermos vontade e determinação, podemos falar com o mundo, independente de cor, raça ou nação.

Go for it!!!!

Trilha: Luciano Mathias - Believe is not enough

Garota britânica desperta de coma cantando música do grupo Abba



Da Folha Online:
Uma menina britânica surpreendeu os médicos ao despertar do estado de coma em que estava há cinco dias cantando "Mamma Mia!", do grupo sueco Abba. A canção é a preferida de Layla Towsey, de apenas 3 anos. A história aconteceu no domingo passado (24), no Hospital Saint Mary's de Paddington, em Londres, onde Layla recuperou a consciência após entrar em coma por causa de uma meningite, segundo informa a imprensa britânica. "Pude escutá-la cantando "Mamma Mia!" em voz baixa. Não conseguia acreditar", explicou sua mãe, Katy Towsey, 23, que considerou "um milagre" a recuperação de sua filha.

É o que eu sempre digo, a música tem poder de cura, e também pode fazer milagres.
Trilha: Abba - Mamma Mia

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Há 35 anos morria o jazzista Duke Ellington



Do Terra Música
Ninguém que admire música, seja o ritmo que for, consegue evitar colocar o jazzista Edward Kennedy Ellington em um panteão sagrado, ao lado de Mozart, Bach, Beethoven e Tchaikovsky. Ele foi seguramente um dos maiores compositores americanos e deixou um legado de mais de 2.000 obras-primas como Sophisticated Lady, Take the A Train, Don't Get Around Much Anymore e Caravan.

Nascido em Washington em 19 de abril de 1899, Ellington teve uma infância atípica para um músico de jazz. Seu pai era mordomo, chegando a trabalhar na Casa Branca e sua mãe, uma dona de casa de classe média. Ambos eram pianistas e procuraram fazer o filho aprender a tocar o instrumento, mas a grande paixão do menino era baseball e nunca levava as lições a sério. Devido a seus trajes e modos elegantes, foi apelidado de Duke (Duque) e a alcunha o acompanhou até o fim de sua vida.

Para poder assistir aos jogos de baseball, Ellington trabalhou como vendedor de amendoins nos estádios e considerava esse primeiro emprego como o responsável por tê-lo feito perder o medo do público, já que a venda exigia que gritasse muito e interagisse com as pessoas.

Em 1914, trabalhando como um "soda jerk" (balconista de lanchonetes), criou sua primeira composição de ouvido, já que não sabia ler ou escrever música, Soda Fountain Rag . Encantado pelos pianistas dos esfumaçados salões de bilhar, Duke resolve levar seus estudos a sério e é matriculado na Armstrong Manual Training School. Foi nessa época que começou a tocar em bares, cafés e clubes. Fã do gigante do jazz Fats Waller, foi conhecer o estilo tocado no Harlem, em Nova Iorque, mais swingado e melodioso que o ragtime, imortalizado por artistas como Louis Armstrong e Sidney Bechet.

Dez anos depois de formar sua primeira banda, The Washingtonians, teve a primeira oportunidade de ser líder de uma banda em 1927, quando o então líder Joe "King" Oliver entrou em conflito com a mítica e prestigiada casa de shows Cotton Club. O duque o substituiu e começou a imprimir sua marca no estilo da banda, mais notadamente o jungle style, onde os metais da banda tocam mais fortemente e com mais expressão, dando um ar de selvageria às composições. Outra característica de Ellington era não só aceitar músicas compostas pelos integrantes de sua banda como também adaptar suas próprias canções ao estilo de quem estava solando como o saxofonista Johnny Hodges ou o trompetista Cootie Williams.

Tornando-se um sucesso nas rádios e sendo transmitido para todo o país, Ellington ganhou notoriedade e dinheiro e excursionou na Europa entre 1933 e 1939, ficando encantado com o tratamento que recebia pelos estrangeiros, que não se importavam com o fato de que o gênio era negro, ao contrário de seus compatriotas americanos. De volta aos EUA em 1939, Duke conheceu seu mais fiel colaborador musical, Billy Strayhorn. Mesmo com personalidades completamente opostas, o primeiro com formação popular e o segundo com formação clássica, Ellington disse em uma entrevista: "Strayhorn é meu braço direito, meu braço esquerdo, todos os olhos atrás da minha cabeça, minhas ondas cerebrais na sua cabeça e as dele na minha".

Apesar de nunca ter abandonado o estilo que o tornou famoso, Duke sempre buscou experimentações e novas sonoridades gravando com nomes de vanguarda como Charles Mingus, John Coltrane e grandes vocalistas como Frank Sinatra, Ella Fitzgerald, Rosemary Clooney e Louis Armstrong. Como band leader, Ellington adorava fofocar entre os músicos, jogando um contra o outro, para criar o que ele considerava um ambiente de competição saudável e assim conseguir performances memoráveis nos shows.

Um de seus maiores momentos foi no festival de Newport em 1957 pois, apesar de sua fama e capacidade, o compositor na época encontrava-se no ostracismo e viu nesse show uma oportunidade de reerguer. Segundo o excelente documentário Jazz de Ken Burns, a platéia estava começando a deixar o local do show no meio de uma música que Duke compôs especialmente para o festival, quando o band leader começou os acordes de uma de suas composições mais antigas e complexas: Dinimuendo and Crescendo in Blue. O saxofonista Paul Gonçalves, embalado pela música, solou de improviso por mais de seis minutos e quase provocou um tumulto, já que a platéia, entusiasmada, não respeitava mais os lugares marcados e dançava até em cima do palco.

No mesmo documentário, o grande jazzista Dave Brubeck conta que ao excursionar com Ellington em 1954, foi acordado de madrugada pelo Duke, emocionadíssimo, porque Dave era capa da revista Time. Brubeck conta que foi o dia mais infeliz de sua carreira, porque achava que o gênio das bandas de jazz é que merecia essa distinção. Apesar desse "desprezo" da mídia nos anos 50, Ellington acabou ganhando vários prêmios Grammy em sua carreira, incluindo o de Conjunto da Obra (1966) e de melhor trilha sonora para o filme Anatomia de um Crime de Otto Preminger de 1959. Além disso, recebeu em 1972 uma Medalha da Liberdade do presidente Nixon, foi agraciado com a Legião de Honra da França em 1973 e foi nomeado para um prêmio Pulitzer em 1965.

Ellington faleceu em 24 de maio de 1974, um mês depois de completar 75 anos, por conta de um câncer no pulmão e uma pneumonia. Mais de 12.000 pessoas foram ao seu funeral e inúmeros memoriais foram erigidos em sua homenagem. No fim de sua vida, afirmou que "música é como eu vivo, porque eu vivo e como serei lembrado". Não podia estar mais correto.

Trilha: Duke Ellington - Duke Ellington & John Coltrane

Kathleen Edwards


Gosto de compartilhar coisas boas, principalmente música, econtrei essa garota na last.fm, o som dela é muito bom, vale a pena conferir.

Não estou conseguindo add o link, então copie e cole no seu browser:
http://www.myspace.com/kathleenedwards

Bruce Springsteen fará últimos shows de estádio nos EUA



O cantor Bruce Sprigsteen disse em que ele e seu grupo, a E Street Band, farão um último concerto antes da demolição do Giants Stadium, em Nova Jersey, casa dos times de futebol americano New York Giants e New Jersey Jets.

Estão fechando uma história com chave de ouro, esse cara influenciou gerações, ele e sua telecaster bege e preta. Quem não consegue sentir a vibe ouvindo Glory days ou Born in the USA???

Trilha: Bruce Sprignsteen - Glory Days

Com camiseta do AC/DC, Demi Lovato mostra seu lado roqueira



Alguém conhece essa menina?
Abriu o show do Jonas Brothers com a camiseta do ACDC. Seria ela mais uma do grupo dos "corrosivos"???

A cantora Demi Lovato começou seu show no Estádio do Morumbi pontualmente às 19h30 deste domingo (24/05). A garota de 16 anos apareceu com uma camiseta do AC/DC e uma jaqueta de couro. Com pose de roqueira, ela mostrou músicas do seu disco Don't Forget, muitas delas que ela compôs com Jonas Brothers.

Trilha: AC/DC - Ballbreaker

Macy Gray fará shows no Brasil em junho


Mais Good News!!
Ta aí um show que vale a pena presenciar!!!

Terra Música:
A cantora americana Macy Gray fará shows no Brasil em junho, acompanhada do músico e DJ australiano Kaz James, informa a coluna de Mônica Bergamo no jornal Folha de S.Paulo.

Trilha: Macy Gray - Sexual Revolution

Stevie Wonder afirma que ainda não compôs sua melhor música



Puxa, isso que eu chamo de "busca a perfeição"!
Do Terra Música:

O cantor americano Stevie Wonder assegurou nesta sexta feira no Marrocos que, se tivesse que escolher uma canção dentro de seu próprio repertório, não conseguiria, porque ainda não escreveu sua melhor música.

Acho que um artista que busca ser o melhor nunca está satisfeito, nem com o melhor take do estúdio, nem com o melhor show ao vivo e nem com todas as músicas escritas, entendo o Stevie.

Trilha: Stevie Wonder - The Definitive Collection

domingo, 24 de maio de 2009

Músicas Próprias

Agora você pode ouvir minhas músicas aqui no Blog, por enquanto estou disponibilizando apenas 2 versões "unreleased", mas em breve teremos muitas novidades.

Basta clicar no play na barra lateral para ouvir: She´s an angel (lounge remix) ou Believe is not enough(Unplugged) - a música que batizei com o mesmo nome esse blog.

Enjoy :)

Trilha: Clique na barra lateral para ouvir.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Dúvidas traidoras...

"Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que com frequência poderíamos ganhar, pelo simples medo de arriscar" Willian Shakespeare.

Tenho certeza que essa frase serve para todo e qualquer ser humano, em algum momento da vida hesitamos, em algum momento, duvidamos e isso nos deixa estagnados.
O medo corrompe, o medo paralisa, mas mesmo diante disso, não existe coragem sem medo, é necessário que o medo se apresente para que superemos o mesmo.

Devemos tomar uma decisão e ser firmes nela até o momento oportuno. O que nos impede de conquistarmos o que queremos e o que mais desejamos é o medo e a dúvida;o medo de não conseguir, o medo de ser feliz e assumir mudanças na nossa vida, sair da nossa zona de conforto e a dúvida do que fazer, do que buscar, do que conquistar.

Aprendi isso a duras penas, estabelecer uma meta e correr atrás dela sem olhar para os lados, ex: queria aquele apartamento, mas o outro é mais bonito, não sei o que eu quero.... acaba não conquistando nenhum. devemos ter claramente o que queremos e o que desejamos em nossas mentes, para que isso se torne viável, devemos excluir a dúvida e o medo.

Estabeleça uma meta faça acontecer, e só após conquistada estabeleça uma nova meta e assim por diante, deixe a dúvida de lado e vá em frente.

Trilha: Wallflowers - Red Letter Days

Green Day leva cerca de mil fãs ao delírio durante show em NY


Do Terra Música:
Quatro anos depois da explosão de American Idiot, talvez a obra-pop-símbolo dos anos George W. Bush, Billy Joe, Mike Dirnt e Tré Cool voltam aos palcos com 21st Century Breakdown, uma ópera-rock dividida em três atos que giram em torno da história do casal Christian e Gloria. Cerca de mil fãs enlouquecidos acompanharam o show da nova turnê do Green Day na noite da última terça-feira (19), no Webster Hall, em Nova York.

Comento: Ta aí uma banda que eu achava que seria mais uma "one álbum band", o primeiro trabalho deles (que realmente vingou) "Dookie" de 1994 eu achei bem legal, uma banda bem "sucessora dos Ramones".Os álbuns que seguiram esse achei bons também, ouvia bastante o Insomniac na época para andar de skate. Parei de ouvir na fase "pós 2000" e tenho um pouco de dúvida se enveredaram para o segmento "emomanic".
Não vou julgar pois não ouvi o novo álbum e o pouco que ouvi nos últimos tempos não me atraiu (nem para andar de skate), mas ainda prefiro me lembrar deles com o visual "crazy punk" e com o "semi-punk-rock-debochado" dos anos 90, como recordamos através da foto.

Trilha: Green Day: Dookie

Músicas que não fiz mas queria ter feito

Wallflowers - The Difference
Não é uma música comercial, mas é a minha preferida deles, mais do que One Headlight, vale a pena conferir.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Morreu em Los Angeles aos 62, fazia a voz do Mickey em todas as midias


Morreu em Los Angeles aos 62 anos Wayne Allwine, a voz do Mickey Mouse. Especialista em efeitos sonoros, emprestava sua voz ao personagem da Disney desde 1977. Foi a 3a pessoa a fazer isso - a 1a foi o próprio Wal Disney. Allwine era a voz de Mickey em filmes, parques temáticos, na TV, no rádio e em eventos ao vivo.

Trilha: Desenho do Mickey.

Poema que seria leiloado pela Christie's não é de Bob Dylan

Xiii, da folha online:

Um poema cuja autoria foi atribuída ao cantor Bob Dylan foi, na verdade, escrito pelo cantor de country canadense Hank Snow, informou nesta quarta-feira o site especializado em música NME.

A casa de leilões Christie's, que leiloaria o poema no próximo mês, anunciou o erro após a agência de notícias Reuters alertar que o texto era muito parecido com a letra de uma música de Snow.

"Recebemos novas informações sobre o manuscrito de um poema atribuído a Bob Dylan, escrito quando ele tinha 16 anos e intitulado 'Little Buddy'. O manuscrito é, na verdade, uma versão revisada da letra de uma música de Hank Snow", disse a Christie's em um comunicado.

Apesar da confusão, a casa de leilões manterá o poema com um dos itens que serão leiloados no dia 23 de junho. "Continua sendo um dos registros mais recentes de um documento escrito a mão por Bob Dylan", disse um representante da Cristie's.

Dylan escreveu a letra para que o texto fosse publicado em um jornal de Wisconsin. O documento foi publicado assinado pelo nome de batismo do músico, Bob Zimmerman.

Trilha: Bob Dylan - The Freewheling Bob Dylan

Blur lançará coletânea dupla em junho



Da Folha Online:
O Blur lançará uma coletânea no dia 15 de junho, coincidindo com uma turnê de reencontro da banda. A informação é do site especializado em música NME.
O CD duplo, intitulado "Midlife: A Beginners Guide To Blur", terá 25 faixas.

Trilha: Blur - Song 2

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Quando dá vontade de desistir é porque estamos muito próximos dos nossos objetivos


Quando dá vontade de desistir é porque estamos muito próximos dos nossos objetivos

Ando refletindo algumas coisas na vida esses últimos dias e percebi isso em um dia que estava cansado e um pouco desanimado.
Somos imediatistas, não sabemos esperar, queremos tudo na hora que queremos. Somos seres humanos mimados e não sabemos confiar na providência divina, não sabemos confiar no ambiente e nas outras pessoas.

Diante de todas essas conclusões, percebi que a maioria das pessoas não atinge seus maiores objetivos pois acaba desistindo e não tendo paciência para trabalhar esperando a hora de acontecer.

As vezes trabalhamos muito, um dia, dois, um mês, e o resultado não vem, e aí nos perguntamos: o que estou fazendo errado? porque não vem o resultado...
Quando nos perguntamos isso nos auto sabotamos, pois não estamos confiando na providência e no que Deus está olhando por nós.

Quando tivermos vontade de desistir ou de desanimar, é nessa hora que devemos nos animar mais ainda e nos alegrar, pois se está pintando de longe a vontade de desistir, é porque está muito próximo de grandes coisas acontecerem, e nosso dever é continuar buscando e acreditando até que os objetivos se concretizem, a partir daí, devemos estabelecer novos objetivos e começar tudo de novo.

Sempre iremos conseguir,só depende de nós.

Trilha: Pearl Jam - Vitalogy

Poema feito por Bob Dylan aos 16 anos será leiloado





Bob Dylan escreveu poema para jornal de acampamento

Um poema escrito à mão por Bob Dylan quando era adolescente e assinado Bobby Zimmerman será oferecido para venda em 23 de junho no leilão de cultura pop da Christie's, anunciou a casa de leilões na terça-feira.

Acredita-se que o poema foi escrito em 1957, quando o cantor e compositor tinha 16 anos, antes de ele se mudar para Nova York e fazer fama como cantor folk e lenda do rock. De acordo com a Christie's, o poema foi escrito em tinta azul no frente e verso de uma única folha de papel.

Nascido com o nome de Robert Allen Zimmerman, Dylan passou sua infância no Minnesota. Ele escreveu o poema quando estava no Herzl Camp, um acampamento judaico de férias de verão em Wisconsin. É o poema mais antigo conhecido do artista a ir a leilão, disse a Christie, e pode ser arrematado por valores entre US$ 10 mil e US$ 15 mil.

Intitulado Little Buddy, o poema é sobre o assassinato do cachorro de um garoto. Parte do texto diz "Mas reencontrarei meu amigo precioso no céu / ao lado de um túmulo estreito e pequeno / onde os salgueiros se inclinam tristemente."



Foi escrito para o jornal do acampamento e guardado pelo editor do jornal por mais de 50 anos. Recentemente o editor o doou de volta ao acampamento, que será beneficiado com o dinheiro da venda.


Trilha: Bob Dylan - The times they are a-changing

Ozzy em Publicidade para Samsung

Do Blue Bus:
Ozzy Osbourne está de volta ao papel divertido de garoto propaganda dos celulares Samsung. Desta vez, divulga o modelo Jack, apresentado como um assistente pessoal. O roqueiro, com suas unhas pretas e péssima dicçao, dispensa seus dois assistentes de carne e osso - um nao entende o que ele fala e o outro tem hábitos estranhos, como acordar Ozzy de manha :-). Clique na imagem abaixo para ver. Dica do Adrants.


Find more videos like this on AdGabber


Trilha: Ozzy Osbourne - No more tears

terça-feira, 19 de maio de 2009

Villa-Lobos é destaque no Festival de Campos do Jordão



Villa-Lobos é destaque no Festival de Campos do Jordão

Heitor Villa-Lobos recebeu uma homenagem especial nesta segunda-feira (18/05). A quadragésima edição do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, no interior de São Paulo, prestou um tributo ao músico. Com 45 concertos programados para acontecer entre os dias 4 e 26 de julho, o evento também pretende dar destaque ao Ano da França no Brasil.
Em 2009, Villa-Lobos marca 50 anos de sua morte. Segundo o maestro Roberto Minczuk, responsável pela direção artística do evento, "Ele tinha uma ligação forte com a França. Foi lá que registrou grande parte de suas obras e morou anos em Paris. Sua música estará presente em vários programas dessa edição do festival".

Entre as principais atrações do evento, está o grupo Le Poème Harmonique. Com um repertório barroco, assinado por compositores da Idade Média à Moderna, os músicos sobem ao palco com instrumentos de época.

O encerramento do festival que conta com um orçamento de 5 milhões de reais, segundo a secretária de Estado da Cultura, será realizado na Sala São Paulo, na capital paulista, no dia 26 de julho. A apresentação será da Orquestra Acadêmica do Festival, formada pelos bolsistas do evento e regida pelo maestro Minczuk, tendo como solista o pianista francês Michel Dalberto.

Os interessados poderão retirar seus ingressos a partir do dia 22 de junho. Os preços variam entre R$ 20 e R$ 80. No entanto, estão previstos 18 concertos gratuitos em igrejas e praças de Campos do Jordão.

Trilha: Villa Lobos - Bachianas

Desliguem os computadores e vivam a vida, diz o CEO do Google

Apesar do meu blog ser voltado para música, abro uma exceção pois acho que vale muito a pena, apesar de ser estranho o Ceo do Google dizer isso e um blogueiro concordar, mas existe hora para tudo.

Do Blue Bus:
Novo recado | Desliguem os computadores e vivam a vida, diz o CEO do Google.

O CEO do Google, Eric Schmidt, incentivou os jovens a desligarem seus computadores e telefones para viverem um pouco a vida analógica e descobrir o que existe "de humano ao nosso redor". Falando na Universidade da Pensilvania, onde foi homenageado com um título honorário em Ciência, recomendou que os estudantes nao tracem caminhos rígidos para si mesmos. Afirmou que aqueles que souberem errar e aprender com os erros serao recompensados - "Você nao pode planejar a inovaçao ou a inspiraçao, mas você pode se preparar para isso, agarrar isso quando encontrar e fizer diferença" - ensinou. Todas do Julio no Blue Bus.

Trilha: Luciano Mathias - Never go down

George Harrison - Carro-Homenagem


Da Revista Quatro e CCSP: Foram divulgadas as imagens oficiais de uma versão especial do Mini Cooper, criada em homenagem ao ex-Beatle George Harrison, guitarrista da famosa banda de rock britânica.


O modelo conta com uma chamativa decoração exterior, que inclui uma série de ilustrações de origem indiana e grafismos psicodélicos.

A inspiração foi um Mini Cooper S 1966, personalizado pelo próprio Harrison.

O carro foi um presente dado pelo empresário dos Beatles, Brain Epstein, a cada um dos membros da banda.

Em 1967, o veículo fez uma participação especial no longa-metragem “Magical Mystery Tour”.

A reinterpretação do carrinho foi customizada de acordo com as dicas dadas por Olivia Harrison, esposa do músico falecido em 2001.

O carro será entregue para Olivia durante o MINI United, evento em comemoração aos 50 anos do Mini que acontecerá entre os dias 22 e 24 de maio no Autódromo de Silverstone, na Inglaterra.

No final do ano, o veículo será leiloado e o dinheiro arrecadado será destinado para a Material World Charitable Foundation, fundação que foi criada por Harrison em 1973.

Trilha: George Harrison - My sweet Lord

segunda-feira, 18 de maio de 2009

The Calling - Eles ainda existem?



A banda norte-americana The Calling vai ser apresentar dia 5 de junho na Via Funchal. No dia 13 de junho eles tocam na 16º Festa Oficial do Peão, na cidade de Rio Claro (SP).

Achei que esses caras gravaram seu único álbum e sumiram. Apesar do preconceito dos mais "corrosivos", não acho de todo ruim, até comprei o álbum em 2002. Algumas músicas são até legais, nada demais, até prefiro o pop rock assim, mais meloso do que melâncólico como as bandas emos.

Trilha: The Calling - I Thank You

Michael Jackson estaria lutando contra câncer de pele

Do terra música:

O cantor Michael Jackson estaria lutando "em segredo" contra um câncer de pele, mas a doença não deve impedi lo de atuar nos 50 shows que tem programados para meados do ano em Londres, informa neste sábado o jornal britânico The Sun. 16/5/2009 07:48

Como se isso não fosse esperado depois de tantas "mutações"

Trilha: Michael jackson - Thriller

Black Sabbath é Heaven and Hell



Antes de qualquer coisa: a banda que tocou no Credicard Hall em São Paulo nesta sexta-feira foi o Black Sabbath com Ronnie James Dio no vocal. Heaven & Hell é o nome-fantasia que criaram, mas é bizarro chamar a banda assim. Lembra a vez que o artista-originalmente-conhecido-como-Prince trocou o nome de guerra por aquele logo impronunciável. Enfim, era o Black Sabbath com Dio, afinal.

Trilha: Black Sabbath - Paranoid

AC/DC playing out loud


Germany's The Local reports that AC/DC's gig in Munich on Friday 15 May drew over 100 noise complaints by irate residents.

Complaints came from as far as Unterhaching, a suburb 20km (12 miles) away from the Munich stadium.

Police said the locals complained about "overly-loud music".

AC/DC have previously been registered as one of the world's loudest bands, reaching 132dB. That volume is an 'honour' shared by The Rolling Stones, Motörhead and My Bloody Valentine.

Comento: Os caras não tem jeito, rs.
Mas também ouvir AC/DC baixinho, que graça tem?

Trilha: AC/DC - Back in Black

Mobília feita de música


Mobília feita de música.
O sofá da figura é exatamente isso, foi feito com espuma de polietileno seguindo o gráfico de uma onda sonora.

Esse trabalho é de Matthew Plummer-Fernandez, um designer colombiano que reside em Londres. Prototipos da cadeira foram exibidos em Milão em 2007 e o produto final foi lançado no "London Design Festival" em setembro de 2008, custa apenas £3950.

Trilha: Johnny Lang - Lie to me

A Vida é...



" A vida pode ser uma deliciosa aventura ou uma tumultuada tormenta, quem decide isso é você, através das suas escolhas e atitudes" - Autor desconhecido

Não sei se tenho muito a comentar sobre essa frase, acho que ela já diz quase tudo, mas mesmo assim vamos lá...
Acredito que a maioria das pessoas quer ser feliz, a maioria das pessoas quer que a vida aconteça como uma "deliciosa aventura", mas muitos não sabem como "viabilizar" isso.
Nós podemos fazer da vida uma aventura, e torna-la cada vez mais deliciosa, através de nossas escolhas e atitudes, por exemplo:
Se algo aparentemente ruim nos acontece, automaticamente fazemos uma escolha, muitas vezes sem pensar, e normalmente escolhemos ficar: tristes, irritados etc etc, o que nos leva a ter atitudes condizentes com esse nosso estado de espírito, o que como dizem por aí, gera uma espiral de coisas "ruins".

Quando algo de ruim nos acontece, devemos analisar friamente e racionalmente e escolher seguir em frente, mesmo diante de um pequeno problema, devemos escolher nos manter firmes e confiantes de que esse "algo ruim" é apenas a passagem para algo muito melhor, é a tempestade que precede a bonança, é a fé nos mantendo intactos contra os pensamentos e sentimentos ruins.
Não estou falando aqui de algo "Polianístico", mas sim de uma atitude realmente de fé e esperança, de uma escolha pela esperança e pela confiança, o que irá gerar atitudes positivas e atrair pessoas e situações positivas.

Trilha: T-Bone Walker - The Complete Capitol Black & White Recordings

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Beatles detestavam que fãs atirassem doces nos shows, diz carta


Do Terra Música:
Beatles detestavam que fãs atirassem doces nos shows, diz carta

Os Beatles não gostavam que os fãs atirassem doces na banda durante os shows, segundo uma carta escrita pelo ex-guitarrista da banda, George Harrison, que será leiloada em breve.
O documento, escrito em 1963, foi para Lynn Smith, então com 15 anos de idade e que se declarava fã incondicional da banda. Ela encontrou a carta em sua casa há alguns meses e resolveu colocá-lo à venda.

"Não gostamos que atirem doces na gente. Pensem em como nos sentimos no palco tentando lidar com isso enquanto vocês continuam atirando mais. Além disso, pode ser perigoso: uma vez levei uma bala em um olho e lhes garanto que não é divertido", disse o ex-guitarrista, que morreu em 2001.

A moda de lançar balas nas atuações dos Quatro Rapazes de Liverpool surgiu em 1963, ano em que o grupo lançou Please, please me, seu primeiro álbum.

Naquela época, Harrison comentou em entrevista que gostava das chamadas jelly beans, feitas a base de gelatina, e isso motivou as fãs.

Espera-se que a carta, na qual Harrison também confessa que errou a letra durante a gravação da música I'll get you - seja vendida a um preço de 800 libras (cerca de 880 euros) no leilão, a ser realizado pela casa Wooley & Wallis em 17 de junho.


EFE

Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.

Trilha: Beatles: Revolver

Confira alguns lugares que se tornaram "sagrados" na música


CBGB recebeu em seu palco os maiores nomes do punk

Do Terra Música:
Estar no lugar certo e na hora certa é vital em qualquer âmbito da vida. No mundo da música, a história não é diferente. A maioria dos grupos famosos com certeza possui algum lugar - estúdio, casa de show, festival - que marca seu início ou algum momento marcante na carreira.

Alguns desses lugares ajudaram a consagrar nomes como Ramones, Oasis, Beatles, Jimi Hendrix, entre outros, e de certa forma seus palcos ganharam o status de "sagrados".

Confira alguns desses locais:

CBGB
Localizado em Nova York, o nome completo do CBGB (CBGB & OMFUG) quer dizer "Country, Bluegrass, Blues and Other Music For Uplifting Gormadizers". Aberto em 1973, o CBGB se tornou palco obrigatório para as bandas punks e logo recebeu shows e Lou Reed, Velvet Underground, New York Dolls, Iggy Pop & The Stooges e outros.

Anos mais tarde, o CBGB também virou "casa" de Ramones, Blondie, The Dead Boys, The Misfits e Television. Mas mesmo com o status de lugar sagrado do punk, a casa de shows enfrentou uma séria crise financeira nos últimos anos e teve que ser fechada.

Embora vários grupos tenham se juntado para fazer shows e arrecadar dinheiro, o CBGB fechou suas portas no dia 15 de outubro de 2006. Atualmente, o lugar se tornou loja do designer John Varvatos.

Woodstock
A fazenda de 600 acres de Max Yasgur, localizada em Bethel, interior de Nova York, tinha previsão de receber 200 mil pessoas para o festival. No entanto, o que aconteceu entre os dias 15 e 18 de agosto de 1969 foi uma invasão de jovens - cerca de 500 mil pessoas - que derrubaram cercas e tornaram o Woodstock em um evento gratuito.

A fazenda recebeu shows de Jimi Hendrix, Carlos Santana, Janis Joplin, The Who, Joe Cocker e muitos outros.

Sem a menor condição de receber o número tão grande de pessoas, a área da pequena Bethel ganhou o status de "calamidade pública" durante o festival em função das dificuldades de acessar o local e a falta de saneamento básico.

Após o evento, o fazendeiro Max Yasgur foi processado por seus vizinhos em função dos danos causados nas áreas próximas. Em janeiro de 1970, ele vendeu sua propriedade e morreu de ataque cardíaco no ano seguinte.

Abbey Road
Eternizado pelo álbum Abbey Road dos Beatles de 1969, o lendário estúdio da EMI em Londres se tornou um marco após ter músicas épicas gravadas em suas salas.

Além do quarteto de Liverpool, bandas lendárias já deixaram sua marcada no estúdio: Pink Floyd, Duran Duran, Iron Maiden, Oasis, U2, Radiohead, Red Hot Chili Peppers e muitos outros.

Localizado no número 3 da rua Abbey Road, o local é visitado diariamente por fãs e os carros custam a conseguir passar pela rua, já que a todo instante alguém atravassa a faixa de pedestres, que fica frente ao estúdio, para tirar uma foto à la Beatles.

The Haçienda
Depois de ser um armazém e um cinema nos anos 70, o The Haçienda, localizado em Manchester, na Inglaterra, se tornou ponto crucial para as bandas locais mostrarem seu som.

O local se tornou ponto de encontro para os músicos locais, entre eles Stone Roses, The Happy Mondays, Smiths, The Charlatans e Ispiral Carpets (grupo que tinha como roadie Noel Gallagher, do Oasis).

Com o declínio das bandas de rock na cidade, em parceria com o grupo New Order - formado pelos remanescentes do Joy Division - o The Haçienda virou seu foco para a música eletrônica e acid house.

Mesmo com muita luta após diversas crises financeiras, o local acabou fechando sua portas em 1997.

Cidade do Rock
Com 250 mil metros quadrados, a Cidade do Rock, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, recebeu as edições de 1985 e 2001 do Rock In Rio.

Com cerca de 250 mil pessoas por dia, o festival de 1985 contou com nomes como Queen, Rod Stewart, James Taylor, AC/DC, Ozzy Osbourne e várias bandas brasileiras entre os dias 11 e 20 de janeiro.

Em 2007, a Cidade do Rock foi palco dos jogos de beisebol e softbol dos Jogos Pan-Americanos do Rio e hoje está praticamente abandonada.

Royal Albert Hall
Um dos marcos de Londres, o Royal Albert Hall foi aberto em 1871 pela rainha Vitória e, além de palco de concertos clássicos, também recebeu momentos memoráveis do rock.

Em 1968, o teatro foi palco da despedida do trio Cream, formado por Eric Clapton, Jack Bruce e Ginger Baker. Já em 2002, Concert for George lembrou a morte do ex-Beatle George Harrison, morto pelo câncer em 2001, e reuniu vários nomes da música, além deu seu filho Dhani e a sua viúva Olivia.

Trilha: Ramones - Acid Eaters

O Vinyl vai voltar? A lenda continua...


Do Update or die, dando sequência à reportagem da folha online:

Anteontem a Folha Ilustrada publicou reportagem a partir de um teste cego feito com Edgard Scandurra, o produtor Tejo Damasceno e o jornalista Marcus Preto, aonde eles ouviam os mesmos trechos de músicas em LP e em CD e tentavam identificar qual era o qual. A reportagem foi assumidamente feita para divulgar o relançamento em LP de albuns do catálogo da Sony, ao pequenito preço de R$ 90,00 cada (mas escuta, vocês tem certeza de que isso vai dar certo?!). A opinião do trio foi unânime: o som do vinil é superior ao do CD. É novas. Scandurra: “Parece que eu estava ouvindo a música e colocaram (com o CD) uma caixa de papelão na minha cabeça”.

Acontece que o que está em jogo não é apenas a qualidade do som, mas também a ocasião e conveniência de cada suporte: LP se ouve em casa, de preferência com outras pessoas, em um lento ritual de apreciação das faixas, capas e encartes; já o CD é transportável e MP3 mais ainda, e se associam a uma apreciação mais individualizada da música. Foi a conveniência da digitalização musical que transformou o vinil em artefato cult e quase miss media (”miss”, de “missed”).

Mas o vinil está, já há alguns anos, passando por um revival e voltando a ser consumido, inclusive por gente que nunca comprou um CD (o pessoal com menos de 20 anos e que já começou conhecendo música como arquivos de MP3). Se não fosse pelos DJs, pelo hip hop e pelos bailes da night, o vinil seria hoje uma peça de museu. Paradoxalmente, a cultura do sampler e da música eletrônica também se alimenta dos discos fora de catálogo, na busca por loops e batidas dançantes e na criação de mashups. O terreno digital tem com o analógico uma relação mutualística, como a que o jacaré tem com o passarinho que lhe palita os dentes.

E a propósito do assunto, o jornalista Max Henstell da WNYF Television acabou de subir para a rede o mini documentário “Vinyl Revival” (dica do português Miguel Caetano, do Remixtures). Nele é tratado o fenômeno da resistência das lojas que vendem discos, fenômeno alimentado por 2 fatores: a iniciativa de novas bandas em lançar seus albuns também no formato vinil e o fator agregador que essas lojas criam para quem gosta de música, funcionando como clubes aonde os aficcionados se encontram e trocam informações. Parece uma resposta ao isolamento fisico que costuma acompanhar a internet e a cultura do MP3. Baixe a agulha:


Pra terminar esse apanhado vinílico, a gravadora independente Deckdisc acabou de comprar a Poly Som, última fábrica brasileira que prensava discos e que havia fechado as portas ano passado. Em 2007 o documentarista Felipe Nepomuceno montou o curta metragem “A Última Fábrica de Vinil”, abaixo, com imagens estilo “escola pública abandonada”. Se a Deckdisc vai investir para melhorar a estrutura da Poly Som, isso eu não sei, mas tenho certeza de que muitos músicos e DJs se beneficiarão dessa retomada.



Trilha: Skid Row - Slave to the grind (um vinyl entre alguns que ainda possuo)

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Boas Notícias: Bon Jovi e U2 devem se apresentar em São Paulo



Do Terra Música:
Bon Jovi e U2 devem se apresentar em São Paulo no final do ano

A banda irlandesa U2 e o cantor Jon Bon Jovi poderão se apresentar para o público paulista no final do ano, segundo a coluna da jornalista Mônica Bergamo, no jornal Folha de S.Paulo. A Time For Fun, empresa que traz diversos shows internacionais ao País, teria reservado datas para as apresentações no estádio do Morumbi para o final de novembro e também para dezembro.

Bon Jovi deverá tocar no primeiro mês e em dezembro será a vez do U2. O departamento de marketing da time do São Paulo confirma as reservas, mas a Time For Fun nega as informações. A turnê da banda irlandesa, U2 360º, já tem shows marcados entre junho e outubro pelos EUA, Canadá e Europa.

Trilha: U2 - How to dismantle an atomic bom (Vertigo tour, eu fui)

Aposta de Rick Bonadio, Gloria lança CD e luta contra preconceito

No Terra música:
Aposta de Rick Bonadio, Gloria lança CD e luta contra preconceito

Depois assinar com Fresno, Hateen e Nx Zero, a Arsenal Music, conduzida pelo produtor Rick Bonadio, aposta em mais um grupo voltado para o segmento jovem, o Gloria. No entanto, a banda liderada pelo vocalista Mi, também responsável pelos gritos característicos das músicas, tem um som mais pesado e com muitas influências do screamo, vertente do emo marcado pelos berros. 13/5/2009 12:16

Comento:
As vezes vejo algumas coisas na música que me lembram muito algumas coisas que acontecem na política, essa é uma delas, ainda mais por esse trecho: " tem um som mais pesado e com muitas influências do screamo, vertente do emo marcado pelos berros."

Quando alguns produtores irão começar a investir em talentos menos voltados para os emos e mais voltados para as demais pessoas, não são só os emos que movimentam o mercado.

Trilha: Jakob Dylan - Seeing things

AC/DC's Black Ice - still hard?



Do site Music Radar, em inglês:
"Angus Young is a genius"
AC/DC's Brian Johnson acclaims pint-sized riffer
Michael Leonard, Thu 14 May 2009, 3:46 pm BST


AC/DC are on the promotional treadmill promoting their world tour, and Angus Young and singer Brian Johnson have been talking about their own talents to The New Zealand Herald.

Founder member and guitarist Angus Young acclaims the work of producer Brendan O'Brien (Springsteen, Pearl Jam) on Black Ice, saying: "He was trying to recapture more of that rock sound, like the Highway To Hell - he said he even liked the Dirty Deeds Done Dirt Cheap time.

"It has to sound like AC/DC. You want fans to hear that and go, 'That's AC/DC'. But you also want them to hear it and go, 'But it's AC/DC playing something new'.

"That for us is always the challenge. You hope that your songwriting, the way that you're doing it is getting better."

"Critics are all dead wrong"
And after a staggering 2008 for AC/DC - when Black Ice debuted at Number 1 in 29 countries - singer Brian Johnson reckons it's time for some acclaim.

"The easiest riffs in the world are the hardest ones to write, because they are very few" Brian Johnson
Johnson adds: "The critics have always been a little flippant with AC/DC about Angus and the school suit, and it's always easy to have a quick little joke or a dig at the expense of it, the easy riffs, and such and such, and they're all dead wrong. The easiest riffs in the world are the hardest ones to write, because they are very few.

"Highway To Hell is 'easy', but you ask a guitarist, it's not that easy. Nobody can write them because easy things are very difficult to write… and to put them together in different computations and to come up with something fresh and different.

"It's genius, but the critics never figure that out."

So: are AC/DC still genius? Are the riffs on Black Ice really holding up against Highway To Hell and other Angus classics? Comment below...

Trilha: AC/DC - Black ice

Palavras positivas


Estou lendo um livro sobre neurolinguística do autor Anthony Robbins, que em certo momento fala sobre a importância e a influência das palavras na nossa vida e no nosso estado emocional.
Ele comenta que ampliando e mudando o nosso vocabulário, algumas coisas incovenientes podem ser evitadas e algumas coisas extraordinárias podem ser aproximadas. Diante disso, resolvi escreve um post só com palavras positivas que podemos incluir no nosso vocabulário. Não fiz nenhuma pesquisa, está baseado apenas na minha experiência de vida, portanto convido a quem passar por aqui a acrescentar palavras, de repente conseguimos fazer uma corrente de palavras boas por aí...

Amor, fé, esperança, confiança, abundância, força, capacidade, conquista, talento, persistência, perseverança, realização, sucesso, alegria, felicidade, paz, cortesia, juventude, gentileza, criatividade, tolerância, serenidade, generosidade, vitalidade, inteligência, compreensão, inspiração, humildade, decisão, sabedoria, simpatia, mérito, potencial, extraordinário, maravilhoso, energia, poder, saúde, sinceridade, honestidade, caridade, liberdade, equilíbrio, harmonia, boa vontade, força de vontade, motivação, paciência, brandura, honra, temperança, fervor, garra, determinação, disciplina, sacrifício, disponibilidade, visão, bom humor, alto astral, seriedade, mente aberta, auto controle, dons, lucidez, tranquilidade, sossego, calmaria, bonança, bens, riqueza, prosperidade, constância, santidade, salvação, mansidão, justiça, gratidão, coragem, vontade, agilidade, flexibilidade, resistência, inabalável, viabilidade, autoconfiança, prazer, lazer, descanso, sonho, virtude, amizade, família, amigos, irmãos, diversão, festa, divindade, Deus, céu, mar, azul, especial, inigualável,sensacional, espetacular, simples, singular, certo,vida....

Trilha: Wallflowers - Red Letter Days

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Esse batera é um "trator"

O batera toca muito....



Trilha: Albert Lee - qualquer uma...rs´
Agradecimento ao Pedro Lima por me mostrar o video.

Documentário narra histórias de Joe Strummer, ex-Clash



Por: THIAGO NEY
da Folha de S.Paulo

No início dos anos 90, Michael Hutchence (1960-1997), então vocalista do INXS, e Joe Strummer (1952-2002), então ex-vocalista do Clash, estavam em um clube londrino quando um grupo de garotas se aproximou.

Foram todas para cima de Hutchence. Após um tempo, o galã desvencilhou-se das fãs, mas se sentiu mal por Strummer ter sido ignorado. Este voltou-se para Hutchence: "Não se preocupe comigo. Sou apenas o porta-voz de uma geração".

08.jun.2002/Andy Butterton/AP

Joe Strummer, ex-vocalista da banda punk The Clash, é tema de documentário de Julien Temple
Quem conta a história é o cineasta Julien Temple, que foi amigo íntimo do vocalista do Clash e dirigiu "Joe Strummer: O Futuro Está para Ser Escrito", documentário agudo que está na mostra Tribos Urbanas, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de São Paulo.

Por meio de entrevistas com pessoas ligadas a Strummer e com gente como Johnny Depp, Martin Scorsese e Bono, Temple procura decodificar o guitarrista, letrista e vocalista de uma das bandas mais atuantes e engajadas do rock --quando engajamento era algo mais do que cantar "Minha Alma" no programa do Luciano Huck.

A partir de referências sociais e políticas em músicas como "Tommy Gun" e "Spanish Bombs", Strummer foi chamado de "porta-voz de uma geração". Segundo Temple, 55, ele lidava com a expressão de uma maneira ambígua:

"Joe encarava isso com humor. Ele usou sua posição como pessoa pública de uma forma responsável. Realmente acreditava que podemos mudar o mundo positivamente. Por outro lado, ele acabou com o Clash porque não queria ser um rock star, muito menos porta-voz de alguém".

Pistols ou Clash?

Temple e Strummer se conheceram em 1976, logo após a formação do Clash. Fascinado por rock and roll, o cineasta passou a filmar bandas da cena punk londrina, principalmente o Clash e os Sex Pistols.

Até que Strummer disse a Temple: ou eles ou nós. E Temple escolheu eles. "Eu já havia colhido um material extenso dos Pistols, não poderia jogar aquilo fora. Então tive que me afastar do Clash."

Diretor e roqueiro ficaram afastados até os anos 90. "Joe se casou com uma amiga de escola de minha mulher. Certo dia, essa amiga vai almoçar em casa e eu dei de cara com Joe."

Nos últimos anos, Strummer aproximou-se de Temple. Viraram bons amigos. "Ele se tornou pai, estava mais calmo. Mas não é fácil fazer um filme sobre um amigo."

Julien Temple tem na bagagem alguns filmes de ficção (como "Bullet", de 1996), mas são os filmes sobre pop e rock que dominam seu currículo, como "The Great Rock and Roll Swindle", sobre o Sex Pistols, e "Glastonbury", sobre o festival homônimo inglês.

"Não faço filmes estritamente sobre música. O objetivo é enxergar alguns aspectos que existem dentro da música. Não são documentários de rock; estão mais para longas de história social", conta. "Cresci ouvindo Kinks e Stones, e eles me fizeram ver o mundo de forma diferente daquela que eu via na escola. Foi algo libertador."

Trilha: The Clash - Tommy gun

Teste aponta superioridade do vinil



De olho nos fãs de vinil, que mantêm suas vitrolas ativas e reviram sebos empoeirados atrás de bolachas, a Sony voltou a apostar no antigo formato. A gravadora relançou em vinil o primeiro álbum de nomes como João Bosco e Chico Science & Nação Zumbi e prevê um total de 30 títulos, no mesmo modelo. Fabricados nos EUA, chegam às prateleiras brasileiras por R$ 90, ao lado de um CD com o mesmo produto.

Na foto: Edgard Scandurra, jornalista Marcus Preto e engenheiro de som Tejo Damasceno em teste

Trilha: Mr Big - Big, Bigger, Biggest

Músicas que não fiz mas queria ter feito

Engraçado como ouço algumas músicas e as vezes sinto "vontade" de ter composto elas, essa é uma delas.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Mp3 Player para surfar


Muito bom isso, dá pra pegar onda ouvindo um Beach Boys, ou Dick Dale, que tal??


A empresa de gadgets NU lançou uma nova versão de seu MP3 player Dolphin à prova d'água, o Dolphin TOUCH.
As novidades incluem luminosos sensíveis ao toque, no lugar de botões, display de LCD e até mesmo uma rádio FM que funciona debaixo d'água.
O item também possui 4 GB de capacidade para armazenar arquivos MP3 ou WMA e vem com fones de ouvido também à prova d'água. Ainda não foram divulgados preço e data de lançamento.

Trilha: Dick Dale - Misrilou

The sun still shines



"The sun still shines for the ones who believes" - John Bon Jovi

O sol continua a brilhar para aqueles que acreditam,
E mesmo quando o sol vai embora
sabemos que em algum momento, alguma hora
Ele irá nascer e promover um espetáculo para os que sorriram

a esperança sempre se mantém viva para aqueles que acreditam,
não importa a situação, nem a vontade ou a razão,
o que importa é a fé, se não for morta nos mantém de pé

Trilha: U2 - No line on the horizon

O Dizer e o fazer

Escrevi esse post dia 20 de novembro de 2008.

Vou à missa nos domingos e quando a igreja tem o folheto das leituras, às vezes costumo ler os textos da última página, e em um belo domigo, pra ser mais exato dia 28/09/2008 li um texto que me chamou muita atenção então resolvi guardar o folheto pois acredito muito no que o texto diz, e agora transcrevo esse texto aqui no Blog, logo abaixo frisando a parte que mais me chamou atenção:


O dizer e o Fazer

Pode haver grande disparidade entre a palavra e a ação de uma pessoa. Muitos se comprometem por meio da palavra, mas não pela prática. Na verdade, não deveria haver contradição entre uma coisa e outra. Deveríamos ser pessoas "de palavra". A fidelidade a Deus não se mede tanto pelo "sim" proferido nem pela descendência (religiosa ou familiar), mas pelos fatos e pelas ações concretas - são eles que validam as palavras.

A parábola do evangelho de hoje (28.09.2008) é conhecida como a dos dois filhos. Costumamos ver no primeiro filho o "povo pecador" e no segundo o "povo certinho". Dentro da comunidade ou na família, encontramos os "dois filhos": os que dizem "sim" no batismo, mas na vida concreta esquecem que são cristãos; os que dizem "não", mas na prática são pessoas que amam os irmãos, se sacrificam por eles e se comprometem com o projeto de Jesus. Há os bonzinhos e obedientes que nada fazem para mudar; e os resmungões e rebeldes capazes de gestos nobres. Os noivos prometem - no altar- amor e fidelidade; mas, em muitos casos, depois de alguns anos o casamento desmorona por falta desse compromisso...

As aparências podem enganar e, com frequência, conseguem. Quantos já não foram enganados por uma "boa conversa" de alguém? Provavelmente conhecemos pessoas que dizem uma coisa e fazem outra. Cada um de nós pode ser melhor ou pior do que dizem nossos discursos. O que conta diante de Deus não são as aparências nem as simples palavras sem compromisso, mas a prática; ele olha para o que fazemos.

Por isso é importante ter muito cuidado com os julgamentos, pois as pessoas que consideramos perversas por não seguirem o código de nossas normas podem ser as que nos precederão no reino de Deus. Também não é caso de classificar as pessoas - uma vez que, com frequência, todos trazem em si um pouco do " primeiro filho" e um pouco do "segundo". O ideal é sermos um "terceiro filho", o que diz "sim" e faz. O sim da fé se torna o sim da vida; as palavras dos lábios se tornam gestos das mãos.

Pe. Nilo Luza, ssp.


Coloquei os trechos que mais me chamaram atenção em negrito e itálico, porque vejo que infelizmente isso é verdade na sociedade, conheço muita gente que vive "avessa às normas" regulares da sociedade, mas que tem mais bondade no coração do que pessoas que seguem essas normas à risca, mas muitas vezes não percebem um irmão com dificuldade ou julgam alguém por "perversa" por não seguir as regras extamente como elas são.
O próprio Cristo não seguiu regras e leis dos homens, porque nós devemos seguir???

Trilha: Bon Jovi - Runaway

Skates Mile Davis


Skates Mile Davis

Os amantes do jazz certamente admiram muito o trabalho do músico Miles Davis. Mas será que temos skatistas jazzistas por aí? Aparentemente sim, já que a Western Edition lançou uma linha de skates com o músico ilustrando a prancha, a Miles ‘59 Quintet Series, em homenagem à banda que criou o clássico disco do jazz "Kind of Blue", há 50 anos.

Trilha: Ramones - Mondo Bizzarro

Semear e colher


"Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo que plantamos" - autor desconhecido

Uma das frases mais sábias que conheço, e que ao mesmo tempo nos pega "de calças curtas" muitas vezes.
Quando semeamos ódio e queremos colher amor, quando semeamos raiva e queremos colher paz, coisas incompátiveis e contraditórias, impossível plantar arroz e colher algodão, assim como plantar discórdia e colher perdão.

É difícil, mas não é impossível, por isso devemos tomar muito cuidado ao plantar, pois tudo o que plantarmos na nossa vida, na vida da nossa família, nos nossos relacionamentos, irá nascer e crescer e depois que a coisa pega raiz fica muito mais difícil de cortar e lançar fora, além do que sempre fica uma ponta de raiz grudada em algum lugar.

Se plantarmos um sorriso, teremos uma árvore com muitos sorrisos, se plantarmos alegria, teremos alegria pra dar e vender, se plantarmos fé, teremos fé para mover montanhas, se plantarmos esperança, a esperança florescerá na nossa vida, podia ficar aqui escrevendo até me cansar coisas que devemos plantar, mas assim como qualquer pessoa estou aprendendo, e plantar coisas boas exige tempo, exige cuidado, exige uma terra boa, tem que ser regada, cuidada, para o que plantarmos floresça e cresça firme e forte.

Estou tentando plantar algumas coisas que acredito por aqui, e tenho certeza de que irei colher alguma coisa disso.

Plantem tudo de bom nas suas vidas diariamente.

Trilha: Buddy Guy - Can´t Quit the Blues (disc 01)

domingo, 10 de maio de 2009

Ombros mais fortes...

Ombros mais fortes...
" Nunca ore suplicando cargas mais leves e sim ombros mais fortes" - Phiplips Brooks

Tenho muito pouco a comentar sobre esse post, a frase já fala muito por si própria, mas mesmo assim me arrisco a alguma coisa.

As dificuldades virão, aparecerão e o nosso sucesso vai depender da forma como encaramos isso, como encaramos a dificuldade, se conseguimos superar e ir em frente, estamos fortalecendo nossos "ombros", mas se pedimos cargas mais leves, deixamos de crescer, estagnamos e o sucesso também fica estagnado.
Fortalecer nossos ombros é sair da zona de conforto, amplia-la, acostumarmos com o desconforto, com a diferença, com o conflito, com a dificuldade e desafios e suplicar cargas mais leves é assumir para nós mesmos que somos fracos e que não aguentamos o tranco. Tudo que passamos na vida, tudo que acontece conosco, além de nós mesmos atrairmos, nós aguentamos, pois Deus nunca nos dá uma cruz que não possamos carregar. Somos fortes, somos seres humanos, e quando nos sentimos fracos, Deus é forte em nós, não há o que dar errado, tudo o que a mente humana pode pensar ela também pode conceber, com a graça de Deus.
Devemos tomar uma decisão e ir em frente, e buscar tudo que agregue à essa decisão.

Vamos em frente fortalecendo nossos ombros sempre.
Trilha: Meredith Brooks - Blurring the edges

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Sob o teto azul do mundo














Sob o teto azul do mundo
paira um sentimento raso
De amor intenso e bem profundo
Sendo pessoas e não vasos

Fica difícil de moldar
O Criados vem consertar
O meio fio torto e quebrado
da rua escura lixo empilhado

Sumiu a fé ou a esperança?
querem dinheiro e bonança
mas se esquecem de acreditar
na fé eterna que faz realmente prosperar

Trilha: Beatles - Sgt Peppers Lonely Hearts Club Band

Arte musical em fitas K7


Quando as fitas cassete deixaram de ser usadas muita gente as jogou no lixo, mas o artista iri5 teve uma idéia diferente: usou as velhas fitas para um trabalho artístico inusitado: “Ghost in the Machine”, uma série de representações de músicos como Jimi Hendrix, Ian Brown e Jim Morrison.

Trilha: Jimmy Hendrix: Are you experienced?

Baixista do Lynyrd Skynyrd morre nos Estados Unidos



O baixista da banda Lynyrd Skynyrd, Donald "Ean" Evans, morreu nesta quarta-feira
(6/05/2009), aos 48 anos, em decorrência de um câncer. O músico morreu em casa, no Mississippi, Estados Unidos.
Pra quem não conhece, Lynyrd Skynyrd é a banda que gravou a famosa "Sweet home alabama" um grande clássico do rock/country. God bless.

Trilha: Lynyrd Skynyrd - Sweet home alabama

Músicas que queria ter feito... e fiz!



Trilha: Dreammakers - Fly

Quando músicos tocam juntos


Quando músicos tocam juntos, eles não estão apenas acompanhando determinadas partes de uma música. Acontece algo mais em seus cérebros. Uma estudo germano-austríaco aponta que durante a atividade essas pessoas também mantêm seus cérebros "trabalhando" numa mesma faixa de ondas.

Trilha: G. P. Telemann - Trio Sonatas

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Música reduz uso de remédios para dor




Hoje na Folha online:
Música reduz uso de remédios para dor
Dados preliminares de um estudo sobre uso de música na recuperação de cardíacos que será publicado nos "Arquivos Brasileiros de Cardiologia" também são promissores. A musicoterapeuta Cláudia Regina de Oliveira Zanini, professora da Universidade Federal de Goiás, avaliou o uso da técnica em pacientes hipertensos para sua tese de doutorado. Zanini observou 46 pacientes da liga de hipertensão da universidade durante três meses. Metade deles participou de sessões de audição musical, composição e improvisação vocal, além de exercícios de respiração e relaxamento voltados para a música durante 30 minutos por semana. Ao final do período, a pressão arterial desse grupo havia caído de 150 mmHg por 90 mmHg para 133 mmHg por 80 mmHg. Já o grupo controle não apresentou redução significativa. "O tratamento da hipertensão é de longo prazo, e muitos pacientes não aderem a ele. Entre os que têm pressão alta, somente 50% sabem disso e só 10% têm sucesso porque seguem o tratamento. Eu proponho a musicoterapia como um tratamento não medicamentoso, que seja um coadjuvante", afirma Zanini.

Trilha: Steve Vai - Alien Love secrets

Sunscreen



Havia me esquecido desse video, produzido pela DM9 em 1999, e narrado pelo ator Michael Douglas.
Assisti a primeira vez em um workshop que organizei na Telefônica, e outro dia utilizei para "aconselhar" uma pessoa.

Vale a pena.

Trilha: Beatles - Abbey Road

Have Fun

" A vida é muito curta para ter apenas responsabilidades e cobranças"

have fun!!!
carpe diem!!!
Enjoy!!!
Fly....

Trilh: Soulive - Soulive

De onde vem a inspiração



Muitas pessoas me pergutam: como vc compõe? de onde vem a inspiração? de onde vc tira as idéias? etc... A resposta é muito simples: da vida. De situações boas, situações difíceis, mudanças, novidades, amores, desamores, fé, esperança, raiva, tento transformar todas as emoções em letras, e as letras, em músicas. Quando já enjoei de escrever sobre emoções, ou crio personagens e escrevo sobre eles, ou simplesmente "empresto" algum de algum filme e escrevo sobre ele, minha impressão sobre ele, o que acho q ele realmente deveria ter feito, o que eu poderia fazer para ajuda-lo, enfim várias coisas.

Algumas vezes a inspiração vem em momentos e lugares inesperados; no carro, em uma festa, por isso sempre ando com papel e caneta pra cima e pra baixo, pois nunca se sabe quando nascerá algum grande sucesso.

Nunca usei nenhum tipo de droga lícita ou ilícita para compor, e de certa forma me orgulho disso. Acredito que por ser uma pessoa "hiperativa", as drogas provavelmente iriam me atrapalhar as idéias e não sairia do jeito que eu gostaria que fosse, e iria até um pouco contra outro post que fiz aqui "conscient composition" do John Mayer. Não recomendo drogas, mas sim a pensarmos mais, buscarmos mais a beleza das coisas, forçar a mente para viajar mais sem depender de alguma substância química, despertar a imaginação...

Muitas pessoas nessa loucura de século 21 com milhares de novas mídias e atrações de entretenimento esquecem de uma grande riqueza que deveríamos dar muito mais valor: os livros. Eles dão um barato absurdo e são uma fonte de inspiração inesgotável, se vc é compositor ou quer ser um, eu recomendo.

Trilha:Dave Brubeck - Moscow Night

quarta-feira, 6 de maio de 2009

O "mestre" Robert Johnson



Vi um post no Update or die que me lembrou de alguém muito importante.
A lenda diz que foi assassinado envenenado. Diretamente da década de 30, viveu até os 27 anos, deixou: 41 gravações, duas fotos, dois certificados de casamento e um de óbito. Alguém com uma visão além de sua época, um grande influenciador de gerações no Blues e Rock n Roll.
Uma qualidade de gravação péssima nos padrões atuais, mas uma qualidade artística excelente e surpreendente, uma pena ter durado tão pouco tempo.

De qualquer forma, para talvez sentir um pouco o Blues forte, corrosivo e marcante dessa grande figura, vale a pena ouvir dois álbuns de outro grande mestre: Eric Clapton, que regravou as músicas de Robert em Sessions for Robert J e Me and Mr Johnson.

Trilha: Eric Clapton - Sessions for Robert J e Me and Mr Johnson/ Robert Johnson - Collection

Toda vez que você ouvir a palavra "Impossível"...


"Toda vez que você ouvir a palavra "impossível", fique antenado, pois esta é uma palavra que guarda mais realização, sucesso e oportunidade" - Romero Rodrigues


Essa frase não estava na minha lista de frases, pelo contrário, tomei conhecimento dela alguns meses atrás, achei demais, tem tudo a ver.
Quando as pessoas acham que algo é impossível, que ninguém poderia faze-lo e alguém consegue realizar tal feito diante de todos que "desacreditaram", isso é demais, dá vontade de procurar saber o que as pessoas consideram impossível e tentar fazer, até conseguir.
Até cito aqui o slogan da Adidas" Impossible is nothing", me lembro uma época que passei algumas dificuldades no trabalho e na época eu tinha que passar todas as manhãs pela ponte da Cidade Jardim, onde eu avistava na marginal (antes da lei cidade limpa) um outdoor gigante da Adidas com esse slogan, levava isso para o meu dia, comecei a tentar fazer disso um estilo de vida, de luta e consegui.

Poderia citar também o grande Walt Disney: "É Divertido fazer o impossível" e concordar. É muito divertido e desafiador fazer algo que ninguém acredita que vc pode fazer, primeiro porque não temos que nos basear pelo que as pessoas pensam e sim pelo que nosso coração manda, e se ele manda fazer, mesmo que seja impossível... faça.

Se as pessoas em volta de vc não acreditam que vc consiga realizar tal coisa, elas podem ter razão ou não, só depende de vc acreditar nelas ou não.
Tem uma história sobre um sapinho surdo que escalou uma montanha,muito boa também, mas isso fica pra outro post.

Trilha: Xavier Rudd - White Moth

ON CONSCIOUS COMPOSITION by John Mayer


ON CONSCIOUS COMPOSITION by John Mayer
Tirei esse post do blog do John Mayer, achei muito relevante e costumo utilizar a mesma "técnica", vale a pena.

ON CONSCIOUS COMPOSITION

One of the focal points of my approach to songwriting these days is something I've come to refer to as "conscious composition".

Conscious composition is composing not only chord changes, say for instance a 4-chord progression in a pop or rock setting, but also thoughtfully writing the lyrics and melody line above it. It's the exact opposite of "get in a room and jam." Sure, I could pull together a drummer, a bass player, an organ and a trio of background singers, but without the time spent investigating lyrics, ideas, note selection, etc, all I'm going to have (at best) is a groove that underscores nothing but very basic ideas. Even if I'm able to turn it into something sophisticated, that's still because I was thinking back on a past moment in my songwriting that was fully conscious, except I'll remember it as having come up with it "on the spot"... When there aren't enough of these conscious moments of songwriting to draw from, the creative energy of making music is lost.

Even going into the studio with a guitar and a microphone and singing and strumming until I get something worthwhile isn't conscious enough, because my mind still knows that there's somebody engineering the recording session and my performance brain will take over and make sure I don't sing or play anything embarrassing. The work has to be done alone and ahead of time.

Undoing self-consciousness and bridging into creative consciousness has been and still is a very daunting process. There's nothing new about the template; guy puts everything he has into making music, music rewards guy with everything he has, guy forgets how to make music like he used to. But there is a way to use all that music has given me to dig even deeper than I have before. I'm glad that I've had as many years playing guitar under my belt as I did before I became successful, and I'm glad I have the resources to do whatever it takes to stay focused in that place I know so well.

It's easier to end the day early and go to dinner, but it gets nothing accomplished in the way of answering the question "and why are you taking up space here on Earth again?"

I'm not saying I won't someday go through musical menopause, it's just not going to happen yet. It's being a conscious composer that's going to keep me relevant, and it's refraining from believing that I can jam for 2 months and make a record that's going to return the favor that success has given to me.

John Mayer

Trilha: John Mayer - Heavier things

terça-feira, 5 de maio de 2009

Poesia é composição



















Poesia é composição, os poetas são compositores e os compositores são poetas

A música é poesia com melodia, harmonia com alegria, e salvação para gente fria.
A razão é a verdade da missão, é o real e o que da vazão, a criatividade e imaginação
Uma nota,um som, um sorriso, um tom,
Uma tristeza, meio tom
Uma lágrima diminuta
Uma pausa que ninguém escuta
Na partitura da vida
Alterações quaternárias
na pauta corrida

Trilha: Bob Dylan - New Morning

Iduck Mp3 player


Eu, quando criança, já viciado em música, sempre tomava bronca dos meus pais quando levava o rádio "duplo deck" para o chuveiro, para ouvir minhas fitas k7 preferidas do Guns n Roses, Skid Row ou Bon jovi enquanto tomava banho. Hoje isso não seria mais problema. Provavelmente em algum momento vou comprar pois uma Diana Krall ou Norah Jones na hora do banho não seria nada mal...

Iduck: ele toca as músicas do seu MP3 player sem perigo por ser à prova d’água e wireless.
É só conectar o player no ovo, deixá-los longe da banheira e colocar o patinho na água. A sua caixa de som de alta qualidade que existe no pato vai tocar o que vc qusier. Além disto, ele possui quatro luzinhas que ficam alterando para, assim, deixar o ambiente do banho mais relaxante.

A pato funciona com 4 pilhas AAA e o ovo também precisa de mais 3 pilhas AAA. Custa 28 libras, mas no momento está esgotado. O site promete que o estoque será refeito.

Animal!!! Tirado do blog Tecnotrekos.

Trilha: Skid Row - Slave to the grind

Esperança, o combustível da vida



Esperança, o combustível da vida
Texto tirado do site da canção nova, vale muito a pena , por isso postei aqui.

Esperança, o combustível da vida
Uma vida sem sabor é uma vida sem perspectivas.

A esperança corresponde à aspiração de felicidade existente no coração de cada pessoa. Interessante observar que quem perde a esperança mais profunda perde o sentido de sua vida, e viver sem esperança não tem sentido. O próprio antônimo dessa palavra é DESESPERO, ou melhor, a perda quase que em estado definitivo da esperança. O desespero é capaz de corroer o coração.


A esperança é a vacina contra o desânimo, contra a possibilidade de invasão do egoísmo porque, apoiados nela, nos dedicamos à construção de um mundo melhor. A perda da esperança endurece nossos sentimentos, enfraquece nossos relacionamentos, deixa a vida cinza, faz a vida perder parte do seu sabor. No entanto, todos os dias, somos atingidos por inúmeras situações que podem nos desesperar.


A esperança é o combustível da vida, a forma de mantê-la viva é não prender os olhos nas tragédias; a cada desgraça que contemplamos corremos o risco de perder combustível. Existe na mitologia grega uma figura interessante chamada Fênix, que quando morria entrava em autocombustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Essa ave, o mais belo de todos os animais fabulosos, simbolizava a esperança e a continuidade da vida após a morte. Revestida de penas vermelhas e douradas, as cores do Sol nascente, possuía uma voz melodiosa que se tornava triste quando a morte se aproximava.


A impressão causada em outros animais – por sua beleza e tristeza – chegava a provocar a morte deles. Nossa vida passa por esse processo várias vezes num único dia, ou seja, sair das tragédias para contemplar a beleza que não morreu, a vida que existe ainda, como fazia essa ave mitológica. Alguns historiadores dizem que o que traria a Fênix de volta à vida seria somente o seu desejo de continuar viva, depois de completar quinhentos anos elas perdiam o desejo de viver e aí, se morressem, não mais reviviam. O desejo de continuar a viver era sua paixão pela beleza que é a vida.


Vida sem sabor é uma vida sem perspectivas; quem cansou de tentar, cansou de lutar, desistiu de tudo, uma vida que apenas espera o seu fim por pensar que nada que se faça pode mudar coisa alguma. Quem perdeu a capacidade de sonhar, o desejo de felicidade confundiu-se com a utopia. Felizmente não existe motivo para desanimar, lembrando as palavras de São Paulo: “A esperança não decepciona” (Rm 5,5). Não falamos aqui de qualquer esperança, mas da autêntica esperança, que não se apoia em ilusões, em falsas promessas, que não segue uma ilusão popular em que tudo se explica.


A esperança verdadeira, vinda de Deus, é uma atitude muito realista, que não tem medo de dar às situações seu verdadeiro nome e tem sempre Deus como fator principal. Não tem medo de rever as próprias posições e mudar o que deve ser mudado. À medida que perdemos ilusões e incompreensões temos o espaço real, no qual pode crescer a esperança, que nada mais é do que a certeza de que tudo pode ser melhor do que o que já vemos, e o desejo de caminhar na direção da vida, atraídos pela sua beleza, que no momento pode somente ser sonhada, mas é contemplada pelo coração.


O homem pode ser resistente às palavras, forte nas argumentações, mas não sobrevive sem esperança. Ninguém vive se não espera por algo bom que seja bem melhor do que o que já conhece, que já possui ou já experimentou. Deus alimenta nossa vida através da esperança!

Padre Xavier - 09/02/2009

Trilha: Bon Jovi - Keep the faith